APP Cemig Atende

Baixe na App Store

Baixe na Play Store

Clique aqui Clique aqui

Estação ambiental de Itutinga

.Estação ambiental de Itutinga, em Itutinga, Minas Gerais.

A Estação Ambiental de Itutinga (EAITU) está situada no município de Itutinga, no Km 306 da BR 265, próximo às cidades de Lavras e São João Del Rei. Ela foi inaugurada em julho de 1994, com uma área de 3,52 hectares e sua infraestrutura compreende um Laboratório de Piscicultura e um viveiro de mudas.

O Laboratório de Piscicultura possui 16 tanques, que perfazem uma área total 6.200 m² de lâmina d’água. Nesses tanques são realizadas várias atividades relacionadas à piscicultura na formação de plantel, estocagem, aclimatação, acompanhamento do desenvolvimento reprodutivo e seleção dos reprodutores, que dão suporte a projetos de pesquisa desenvolvidos/apoiados por nós, da Cemig, em parceria com outras instituições de pesquisa.

Além disso, a reprodução e a produção de larvas é realizada seguindo uma série de processos, iniciados com a hormonização de machos e fêmeas (utilizando-se o extrato bruto de hipófise de carpa comum (Cyprinus carpio) ou seguindo outro procedimento análogo de hormonização) para que seja induzida a formação de espermatozoides e ovos, a extrusão de sêmen e ovos, incubação dos ovos para a produção de larvas e alevinos de espécies nativas capturadas na bacia do rio Grande.

Atualmente, não há previsão para a produção e soltura de peixes exceto, quando necessário, ao atendimento de Projetos de Pesquisa nos reservatórios do complexo hidrelétrico das UHEs Itutinga e Camargos.

Além dos tanques, a Estação possui uma lagoa de decantação, com lâmina d’água de 500 m², localizada na saída do sistema que recebe todos os efluentes gerados nos tanques restantes.

Viveiros e plantas

Já o Viveiro de Mudas trabalha com espécies nativas identificadas e divididas em dois grupos: Pioneiras (PI), de crescimento rápido e que produzem frutos atrativos à fauna e Clímax (CL), exigentes de luz, são aquelas espécies de crescimento intermediário e que aparecem no último estágio de sucessão de florestas.

A produção de mudas se dá pelo processo de semeio ou estaquia, sendo que as sementes e estacas são coletadas na região no entorno da Estação Ambiental. Após a germinação das sementes ou brotação das estacas em casas de vegetação, estas são transferidas para tubetes e são cultivadas até atingirem tamanhos médios entre 30 e 40 cm, dependendo da espécie.

Está prevista uma produção mínima mensal (de janeiro a novembro de cada ano) de 2.500 mudas/mês de espécies nativas, sendo 50% com espécies pioneiras (PI) e 50% com espécies clímax (CL), totalizando 22.000 mudas/ano, considerando uma perda média de 10% ao ano. Essas mudas de nativas produzidas são usadas para revegetação em plantio de matas ciliares, recuperação de áreas degradadas e para proteção de nascentes.

A Estação também fornecerá suporte a atividades relacionados às práticas do PEA (Programa de Educação Ambiental) das Usinas de Itutinga e Camargos, conforme demanda, através de visitas monitoradas de estudantes e outros interessados, e também treinamentos nas áreas de piscicultura e silvicultura.