APP Cemig Atende

Baixe na App Store

Baixe na Play Store

Clique aqui Clique aqui

Conheça o caminho da energia, da geração ao consumo

.Para chegar até você, a energia percorre um longo caminho com muitas etapas. Conheça todas elas!

Foto: iStock

A energia elétrica percorre um longo caminho antes de chegar até à sua casa. São vários os processos pelos quais ela passa, antes de ser entregue em forma de fonte de luz e eletricidade aos seus destinos. 

Essa jornada começa, em sua maioria, em usinas: hidroelétrica (fonte hídrica); termoelétrica (carvão, petróleo, gás natural, nuclear, biomassa e geotérmica); parques eólicos; plantas solares (fotovoltaica e termossolares). Depois, para que aconteça o transporte da eletricidade por longas distâncias sem perdas, ela passa por um Transformador, onde a sua tensão é modificada (elevada). 

A energia elétrica é então conduzida para as cidades ou locais de consumo através das Linhas de Transmissão (LT). A tensão destes sistemas pode variar entre 13.800 V a 750.000 V (13,8-750 kV). Ao chegar em seus destinos, a eletricidade passa por um Transformador que reduz a tensão do nível de transmissão para o nível de distribuição, sendo então utilizadas as Redes de Distribuição (RD) (13,8 kV e 34,5 kV). Ao chegar nos locais de consumo, a tensão é ajustada para o patamar que os equipamentos utilizam, e que no Brasil encontra-se entre 127 e 380 V.

 Hoje em dia, tem se tornado comuns as tecnologias em pequeno porte, que permitem ao consumidor produzir a sua própria energia. São grupos motogeradores, painéis solares, dentre outros. Desde 2012, a legislação tem permitido e incentivado esse tipo de conexão, chamada de micro e mini Geração Distribuída (GD), através da REN482/2012 e da REN 687/2015, da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

O que é a Geração Distribuída?

A Geração Distribuída (GD) é caracterizada pela dispersão espacial e geográfica, em contraponto à grandes usinas, estando localizada preferencialmente próxima ou no mesmo local de consumo. Tais características levam esse tipo de geração naturalmente para o pequeno porte, explorando fontes como a eólica e a solar, essas que compõe o painel de energia renovável. A GD também agrega em termos de eficiência energética, uma vez que reduz as perdas no sistema elétrico e abre caminho e possibilidades para as Redes Inteligentes.

De forma geral, a presença de pequenos geradores próximos às cargas pode proporcionar diversos benefícios para o sistema elétrico e concessionárias, dentre os quais se destacam-se:

  • a postergação de investimentos em expansão nos sistemas de distribuição e transmissão;
  • o baixo impacto ambiental; 
  • a melhoria do nível de tensão da rede no período de carga pesada;
  • o aumento da eficiência energética da fonte pela redução das perdas de  produção e transmissão de eletricidade;
  • a diversificação da matriz energética;
  • favorecimento à criação de novos modelos de negócios aplicáveis ao setor elétrico.

A Cemig investe em projeto de pesquisa e desenvolvimento tecnológico (P&D) de acordo com o que determina a Lei 9.991/2000.