APP Cemig Atende

Baixe na App Store

Baixe na Play Store

Clique aqui Clique aqui

Descargas atmosféricas: entenda os perigos dos raios e saiba como se proteger

.Raios podem causar danos sérios em equipamentos e até ferir pessoas quando atingem a rede elétrica. Entenda como funciona e como se prevenir!

Foto: iStock

Os raios atingem diretamente a rede elétrica ou suas proximidades, principalmente em lugares descampados e altos, causando o aumento da tensão. Essa sobretensão se propaga na rede até que haja um ponto com passagem para a terra.

Para a proteção das edificações, é necessária a utilização de para-raios de acordo com a norma ABNT NBR 5419. Um deles é o para-raios tipo haste (conhecido como para-raios Franklin), instalado no alto de edificações. Esse equipamento oferece proteção para a edificação (ou parte dela) contida sob o cone de proteção, cujo vértice se encontra no topo da haste captora.

O método Franklin não se aplica a todos os tipos de edificações, por isso, devem ser utilizados outros métodos (eletrogeométrico, malha ou gaiola de Faraday), de acordo com a norma ABNT NBR 5419. No caso de edificações acima de 60 metros, aplica-se somente o método da gaiola de Faraday. Em quaisquer dos métodos utilizados, é necessário haver o aterramento adequado. Para-raios radioativos não proporcionam proteção adequada e sua utilização é proibida no Brasil.

Para antenas instaladas sobre as edificações, o suporte ou ponto de fixação da antena deve ser aterrado adequadamente. Quando a antena não estiver localizada sobre a edificação, são necessários cuidados especiais, tais como aterramentos adicionais e instalação de blindagem.

O bom funcionamento do para-raios e a adequada proteção contra sobretensão estão associados a um sistema de aterramento eficaz. O tipo de aterramento e o número de eletrodos de terra (hastes de aterramento) a serem utilizados para assegurar a eficácia do aterramento dependem das características do solo.

Proteção de redes de baixa tensão

Existem vários equipamentos para proteção de redes de baixa tensão. Os mais comuns são os para-raios de baixa tensão (varistores), supressores de surtos, que podem ser encontrados no comércio especializado.

Para o funcionamento correto desses equipamentos, é necessário que eles sejam especificados adequadamente, que a rede elétrica seja bem aterrada e que o condutor neutro seja contínuo, bem dimensionado e com emendas bem feitas. O bom aterramento (hastes, malha de terra, condutores de descida) é de responsabilidade do proprietário do imóvel.

É imprescindível que a instalação tenha o condutor de proteção. A este condutor são conectados os terceiros pinos de todas as tomadas e ele por sua vez é conectado ao sistema de aterramento e ao BEP – Barramento de Equipotencialização Principal.

Vale ressaltar que o condutor neutro e o de proteção têm funções distintas na instalação.

Para equipamentos sensíveis como a televisão, existem outros tipos de proteção que são instalados nas tomadas. Esses dispositivos são conhecidos como protetores contra surtos de tensão. Computadores, secretárias eletrônicas ou mesmo televisores requerem proteção especial.

Para a atuação eficiente de qualquer dispositivo de proteção desses equipamentos, é necessário que o sistema de aterramento da instalação também seja eficiente. No caso de um aterramento mal feito, os dispositivos podem não funcionar perfeitamente, comprometendo assim a segurança da instalação e de seus usuários.